Metrópoles verdes

Houve um tempo em que levar uma vida em harmonia com a natureza significava fugir das cidades em busca de um idílio no campo. Nada mais anacrônico. Hoje se sabe que a pegada de carbono das pessoas em centros urbanos pode ser muito menor do que nas áreas rurais, por motivos que vão do maior uso de transporte público e bicicletas a infraestrutura de gás, luz e esgoto mais eficiente. Desde que, claro, seu desenvolvimento seja ordenado e seguindo princípios de sustentabilidade. Em 2008, o emirado de Abu Dhabi anunciou com pompa um megaprojeto para criar a primeira cidade planejada verde do planeta: Masdar (“origem”, em árabe). A ideia é provar que os Emirados Árabes, cuja riquíssima economia é baseada na extração do sujíssimo petróleo, podem ensinar ao mundo como estabelecer comunidades com emissão neutra de carbono.

A cidade, que ocupa uma área de cerca de 6 quilômetros quadrados (o tamanho do bairro carioca de Copacabana), é um laboratório de soluções limpas. Toda ela foi construída em cima de uma plataforma, de modo que há acesso fácil e barato a toda infraestrutura de eletricidade, encanamento e telecomunicações. A elevação protege o lugar do calor tórrido e ainda dá espaço a um sistema de transportes subterrâneo — veículos elétricos individuais e autônomos. A energia vem principalmente de duas fazendas de energia solar e, em breve, de uma usina de processamento de lixo. Ambicioso, o projeto ainda está em estágio inicial e abriga apenas 1 300 moradores e 4 000 trabalhadores, contra os 50 000 previstos.

Clique no link abaixo e leia a reportagem na íntegra

Revista Veja 27-10-2021

Fonte: Procel Info – 28/10/2021

Esta notícia não é de autoria de Leandro Rudnicki, sendo assim, os créditos e responsabilidades sobre o seu conteúdo são do veículo original. Para acessar a notícia em seu veículo original, clique aqui.

Deixe uma resposta

Esse site utiliza o Akismet para reduzir spam. Aprenda como seus dados de comentários são processados.