Resíduos lucrativos

A mistura de gases produzida por decomposição biológica da matéria orgânica, o biogás, ainda corresponde a apenas 1% da matriz energética brasileira. Contudo, esse combustível alternativo tem um enorme potencial. De acordo com a Associação Brasileira do Biogás – ABiogás, o setor iniciou 2020 com um crescimento de 40% na comparação com o ano anterior, totalizando 400 plantas em operação. A produção atual é de aproximadamente 1,6 bilhão de m³/ano.

Alessandro Gardemann, presidente da ABiogás, diz que em um cenário de transição energética, com a busca pela maior utilização de energias renováveis, o biogás ainda é uma fonte nova, mas muito promissora. 

O maior potencial para a produção de biogás no País está no setor sucroenergético (56,7 milhões de m³/dia), seguido da cadeia da proteína animal (38,9 milhões de m³/dia) e da agropecuária (18,2 milhões de m³/dia), setores extremamente relevantes para a economia nacional. Segundo Gardemann, todo esse potencial seria suficiente para gerar 40% da demanda de energia elétrica ou substituir quase 80% do diesel consumido no Brasil.

Na visão do executivo, apesar de toda a incerteza gerada pela pandemia do novo coronavírus, a expectativa da ABiogás para o ano é positiva. “No momento, temos empreendimentos de grande porte em andamento que somam investimentos da ordem de R$ 700 milhões e diversos outros saindo do papel.”

A Raízen, que atua com biocombustíveis, é um exemplo desse movimento. A empresa recebeu, recentemente, autorização para efetuar a comercialização de energia elétrica de sua planta de biogás. A estrutura foi construída há dois anos e tem capacidade para produzir 138 mil megawatts por ano. Segundo informações da empresa, o objetivo é produzir energia e gás por meio da conversão da torta de filtro e vinhaça, subprodutos da cana-de-açúcar. A escala de produção de energia, de acordo com a empresa, é suficiente para abastecer o município de Guariba, no interior de São Paulo, que tem aproximadamente 39 mil habitantes. É lá que fica a usina da Raízen.

Clique no link abaixo e leia a reportagem na íntegra:

Revista Lide Agosto 2020 Residuos Lucrativos.pdf

Fonte: Procel Info – 15/10/2020

Esta notícia não é de autoria de Leandro Rudnicki, sendo assim, os créditos e responsabilidades sobre o seu conteúdo são do veículo original. Para acessar a notícia em seu veículo original, clique aqui.

Deixe uma resposta

Esse site utiliza o Akismet para reduzir spam. Aprenda como seus dados de comentários são processados.