Os mitos e as verdades dos elétricos

Mesmo com a pandemia do coronavírus, a previsão é de que este ano sejam lançados diversos modelos totalmente elétricos no mercado brasileiro e de que esse crescimento da participação desses veículos seja uma tendência mundial . E por ser uma realidade distante ou por desconhecimento, o consumidor ainda tem muitas dúvidas sobre esses carros movidos somente a eletricidade. Por isso, aproveitamos algumas informações dadas pelos engenheiros da BMW para esclarecer dúvidas sobre autonomia, baterias, tempo de recarga, comparativo com os carros com motor a combustão, os riscos de choque, entre outros.

Autonomia

Essa é uma das primeiras questões que vêm à tona quando se fala de elétricos. E um dos mitos é que quando a temperatura cai, não se vai muito longe no modo elétrico. Embora esse possa ter sido o caso dos carros elétricos antigos, isso não se aplica mais.

Segundo os técnicos da BMW, as baterias atuais estão muito avançadas e o pré-condicionamento do veículo via aplicativo agora é padrão, bem como os sistemas inteligentes de gerenciamento de calor, que possibilita otimizar de forma significativa a autonomia do dia a dia, mesmo usando sistemas que consomem muita energia, como o ar condicionado e os aquecedores de bancos.

A autonomia dos carros elétricos depende muito também do comportamento do motorista ao usar, por exemplo, o acelerador.

Tempo de recarga

A primeira dica do pessoal da BMW dica é carregar as baterias em momentos oportunos: à noite ou quando o cliente vai ao shopping, cinema etc.

Mesmo quando conectado a uma tomada doméstica, na qual a recarga possa levar uma noite inteira, o proprietário do veículo elétrico sempre terá a sensação de “tanque cheio”.

Com as estações de recarga mais poderosas, o tempo de carregamento completo pode ser reduzido para minutos ou poucas horas, dependendo do nível de carga do início do processo.

As baterias

Muitas pessoas costumam dizer que as baterias dos carros elétricos são seu calcanhar de Aquiles. Na verdade, nos modelos elétricos, as baterias atuam como o coração do conjunto.

De acordo com Henrique Miranda, head da linha de veículos elétricos da BMW do Brasil, “é a bateria que permite a mobilidade sem emissões ou ruídos, a recarga em casa, a simplificação dos sistemas dos motores (que têm muito menos componentes que os motores à combustão) e a redução nos custos de propriedade”.

Meio ambiente

Os carros elétricos são melhores para o meio ambiente do que os veículos com motor à combustão, especialmente em países com alto índice de fontes renováveis na geração de energia, como é o caso do Brasil, afirmam os técnicos da BMW.

Segundo eles, mesmo que a eletricidade produzida convencionalmente seja levada em consideração para o cálculo e o ônus da produção seja incluído, os carros elétricos ainda estarão à frente.

Custo

Os preços dos carros elétricos são mais caros do que os dos veículos com motor à combustão, mas o custo do carro elétrico para o cliente já é menor, se considerados todos os custos envolvidos na mobilidade, como manutenção, custo da energia, impostos e seguros.

Para os técnicos da BMW, quanto mais utilizado, mais rápido haverá retorno do investimento.

Choque

Quando se fala em eletricidade, uma das principais questões que surge é com relação ao risco de choque. Os técnicos da marca alemã afirmam que cada vez que uma nova tecnologia é desenvolvida, as pessoas a enxergam com ceticismo.

Eles explicam que as baterias dos veículos são testadas para inundações uma a uma antes de equiparem os carros. No caso de um acidente, por exemplo, o fluxo de corrente da bateria é imediatamente desligado, para que não haja risco de choque elétrico aos ocupantes ou prestadores de serviços de emergência.

Redes de energia

Um dos mitos mais persistentes é que as redes de energia atuais não são capazes de fornecer eletricidade a todos os veículos elétricos da frota.

Na opinião de Henrique Miranda, Head da BMWi no Brasil, “na realidade, a demanda de energia é diferente ao longo do dia, atingindo o pico entre 18h e 20h. Em países como o Brasil, que faz uso abundante da energia renovável, há uma grande oportunidade de balancear a curva de demanda”.

Ele ressalta que, com os carros elétricos, a energia pode ser transferida de volta para a rede para atender a demanda do horário de pico. “Além de melhor utilizar a geração atual, cria-se uma oportunidade de receita para o proprietário do carro elétrico”.

Como será o futuro

Na opinião dos técnicos da BMW, parece inevitável que a era dos carros com motor à combustão termine no futuro, não apenas pela natureza finita dos recursos petrolíferos.

Eles acrescentam que, no momento, não é possível prever se os carros elétricos e híbridos plug-in vão dominar o mercado. “O certo é que a experiência ao volante, os custos cada vez menores e as mudanças fundamentais na mobilidade farão com que os veículos totalmente elétricos desempenhem um papel importante no futuro”, afirmam.

Fonte: BHAZ – 09/05/2020

Esta notícia não é de autoria de Leandro Rudnicki, sendo assim, os créditos e responsabilidades sobre o seu conteúdo são do veículo original. Para acessar a notícia em seu veículo original, clique aqui.

Deixe uma resposta

Esse site utiliza o Akismet para reduzir spam. Aprenda como seus dados de comentários são processados.