Celesc faz balanço positivo de seu PEE e anuncia investimento para os próximos anos

As Centrais Elétricas de Santa Catarina (Celesc), empresa responsável pelo fornecimento de energia elétrica de grande parte dos municípios catarinenses, desenvolve desde o ano 2000 seu Programa de Eficiência Energética (PEE), de acordo com determinação da Agência Nacional de Energia Elétrica (Aneel). Em quase 20 anos de programa, a empresa apresenta atualmente um balanço positivo de suas ações. Até o ano de 2018, a concessionária aplicou em seu PEE mais de R$ 330 milhões, investimento que possibilitou a economia de mais de 1.650 GWh, o equivalente ao consumo anual de 600 mil casas. O resultado foi obtido por meio de programas voltados para os diversos perfis de clientes da distribuidora, como consumidores de baixa renda, moradores da área rural, indústrias, instituições públicas e de ensino. Para auxiliar na redução do consumo de seus clientes, a distribuidora realiza desde intervenções práticas, como a substituição de iluminação, troca de equipamentos ineficientes e instalação de sistemas fotovoltaicos, até ações de conscientização do uso racional de energia, por meio de palestras, cursos e workshops. Para os próximos cinco anos, a Celesc anunciou um investimento de mais R$ 300 milhões a serem aplicados em novas edições de projetos em andamento e na elaboração de novas ações.

Entre as iniciativas em andamento e as que já foram finalizadas pela empresa, alguns projetos destacam-se pela inovação e pelo percentual de economia de energia proporcionada. O projeto Bônus Eficiente – Linha Fotovoltaica é um desses casos. Considerada inédita no país, a iniciativa contemplou 1.250 consumidores residenciais com um bônus de 60% do valor de um sistema fotovoltaico, com potência de 2,6 kWp e capaz de gerar até 280 kWh por mês. Em termos práticos, os clientes beneficiados investiram R$ 6,68 mil em um equipamento cujo valor de mercado pode chegar a R$ 20 mil. Segundo a empresa, o objetivo da ação, que teve investimento total de R$ 14,7 milhões do PEE da Celesc, não é apenas promover a economia, mas ampliar a utilização de fontes renováveis na matriz energética brasileira.

“O projeto Bônus Eficiente – Linha Fotovoltaica foi concluído em maio de 2019, com a consolidação dos resultados. Ele é considerado pioneiro por ter sido o primeiro projeto de incentivo à inserção de geração distribuída subsidiado por uma distribuidora de energia elétrica, via Programa de Eficiência Energética da Aneel”, explica o gerente do Departamento de Eficiência Energética e P&D da Celesc, Thiago Jeremias.

Os sistemas fotovoltaicos são oferecidos também por meio do projeto Energia do Bem. Nesse caso, os equipamentos serão doados a consumidores eletrodependentes, ou seja, pessoas que necessitam de aparelhos ligados à energia elétrica para sobreviver. A intenção é ajudar a reduzir o valor da conta de luz desses clientes, que costumam ter um alto consumo. Atualmente, a Celesc contabiliza dois mil clientes nesse perfil, sendo 170 cadastrados no programa Tarifa Social de Energia. Inicialmente, a prioridade será para esses consumidores, mas a intenção da distribuidora é utilizar esses primeiros sistemas como base para que, no futuro, o projeto possa ser disseminado para as outras unidades consumidoras.

Os consumidores cadastrados na Tarifa Social também são o público-alvo do projeto de Banho de Energia, que atende as áreas rurais de Santa Catarina. A inciativa foi pensada para aproveitar o fogão a lenha, muito utilizado na região serrana do estado, onde são registradas as mais baixas temperaturas. O sistema implantado pela empresa, chamado de trocador de calor, utiliza a fumaça resultante no processo de queima da lenha para esquentar a água. O equipamento permite que a água chegue ao chuveiro já pré-aquecida, o que exige menos potência do aparelho, possibilitando uma redução de 50% do gasto durante o banho e até 20% na conta de energia.

Em sua terceira edição, o programa recebeu aplicação de cerca de R$ 15 milhões, investidos na instalação de 2.500 sistemas de trocador de calor (que inclui também um chuveiro de baixa potência) e na substituição de 15 mil lâmpadas de LED com Selo Procel. No total, o programa já atendeu moradores de 20 municípios catarinenses, permitindo uma economia de mais de 2.600 kWh por ano, o que se assemelha ao consumo mensal de 13 mil residências. O gerente de Eficiência Energética e P&D da empresa explica que, além da instalação dos equipamentos, a Celesc realiza ainda a orientação dos consumidores atendidos sobre como otimizar a utilização dos sistemas e conseguir obter maior benefício.

“Devido ao aspecto construtivo do trocador de calor, percebeu-se uma redução no consumo de lenha e na emissão de particulados na atmosfera que ficam retidos no trocador de calor. Para maximizar os resultados foram realizadas palestras educativas quanto ao uso racional e seguro da eletricidade. As palestras duravam, em média, duas horas e contaram com a participação dos moradores das comunidades atendidas e crianças de escolas rurais. Encontros e conversas voltadas ao público infantil e infanto-juvenil são práticas constantemente adotadas pela Celesc, por entender que esse público acaba agindo dentro da residência como um fiscal do desperdício de energia”, ressalta Thiago Jeremias.

Outros projetos

Além dos clientes residenciais, o Programa de Eficiência Energética da Celesc atende também outros segmentos, visando contemplar todas as classes de consumidores em sua área de concessão. Nesse contexto, a distribuidora realiza também projetos para diversos segmentos. No setor industrial, por exemplo, um dos principais serviços foi o projeto realizado para a gigante do ramo alimentício BRF, que foi selecionada por meio de Chamada Pública para o projeto Indústria + Eficiente. Para otimizar a produção na unidade da empresa em Concórdia, foram substituídos 18 motores e instalados três inversores de frequência. Já a fábrica de Videira recebeu 23 motores e instalação de dois inversores de frequência. A estimativa é que a implantação dos novos equipamentos gere uma economia de energia de 2.000 MWh por ano para a BRF.

“Essa economia proporcionará uma redução na fatura de energia de cada uma, economia que será convertida em um contrato de desempenho e que retornará ao programa de eficiência energética para ser aplicado em outras iniciativas”, destaca o gerente de Eficiência Energética e P&D da Celesc.

Outra ação de destaque no PEE da Celesc é o Educação + Eficiente, voltado para a promoção da eficiente energética e redução da demanda do consumo no horário de ponta em instituições de ensino. O projeto contempla a substituição de lâmpadas e instalação de sistemas fotovoltaicos para geração de energia nas unidades. A iniciativa já contemplou instituições como UnoChapecó/Fundest, Furb, Unisul, Unesc, Univille, Univali, Udesc e Unoesc. Além da economia com a conta de energia elétrica, os sistemas de geração fotovoltaica também poderão ser utilizados para fins acadêmicos nas universidades.

Fonte: Procel Info – 09/10/2019

Esta notícia não é de autoria de Leandro Rudnicki, sendo assim, os créditos e responsabilidades sobre o seu conteúdo são do veículo original. Para acessar a notícia em seu veículo original, clique aqui.

Deixe uma resposta

Esse site utiliza o Akismet para reduzir spam. Aprenda como seus dados de comentários são processados.